A jornada de Marcio Renato dos Santos

Marcio Renato dos Santos. Foto de Dico Kremer

O escritor curitibano Marcio Renato dos Santos participa da coletânea O Livro branco, publicada pela Editora Record, a maior da América Latina, na qual 19 autores brasileiros estão presentes, cada um com um conto deflagrado a partir de uma canção dos Beatles. Marcio escreveu, inspirado na canção A day in the life, a última do Sgt. Pepper’s, o conto Uma jornada particular. Trata-se de um texto de ficção complexo, repleto de sutilezas. Em um primeiro plano, o leitor tem acesso a uma movimentação do personagem Max Bell. Ele, o protagonista-narrador, segue, amedrontado, com um bilhete premiado da Mega-Sena. No percurso, Max encontra algozes, reais e imaginários, e também outras personagens, como Lucy — numa alusão a outra canção dos Beatles do mesmo Sgt. Peppers, a clássica Lucy in the Sky with Diamonds. Situações nonsense, que dialogam com a letra da canção A day in the life, compõem o cenário por onde Max Bell perambula, seja uma balada dentro de um ônibus onde chove, e apenas ele, Max, não se molha.

Em determinado momento, é possível se perguntar: será que o protagonista está vivo, sonhando ou morto? Na canção de Lennon e McCartney que Marcio escolheu para compor essa narração, há um acidente, de uma morte. Acima de tudo, há mudanças radicais na estrutura da canção, inclusive no andamento, o que aparece no conto do Marcio. Curioso é que surge, no pesadelo do personagem-narrador, um outro personagem chamado Sr Kite – e no álbum Sgt. Pepper’s há uma canção chamada Being for the benefit of Mr. Kite. Marcio, ou melhor, o narrador do conto conhece, bem, o álbum em questão e os Beatles, e insere inúmeras informações que, eventualmente passando despercebidas em uma primeira leitura, dão força ao conto.

Ler, reler, ler outras vezes este conto é, a cada contato, uma descoberta, é se permitir o acesso a novas sensações e conhecimentos — o que significa dizer que Uma jornada particular, de Marcio Renato dos Santos, presente em O Livro Branco, é um texto que merece atenção por ser instigante e proporcionar prazer estético, para nada dizer da ousadia de linguagem. (Ronaldo Barros).

Dia 20 de setembro Henrique Rodrigues, o organizador da antologia, e também autor) e Marcio Renato dos Santos conversam com o público e autografam O Livro Branco na Livrarias Curitiba do Estação, a partir das 19 horas. Matheus Duarte e banda Match tocam canções dos Beatles e repertório autoral. Entrada franca.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em A jornada de Marcio Renato dos Santos, Cartunista Solda, Dico Kremer, Henrique Rodrigues, Livrarias Curitiba|Estação, Matheus Duarte e Banda Match, O Livro Branco e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta