Biblioteca Pública do Paraná inaugura exposição com fotos de Paulo Leminski

A mostra Convivência reúne 21 imagens produzidas por Dico Kremer, muitas delas inéditas, além de dois poemas do mais conhecido poeta paranaense

A Biblioteca Pública do Paraná (BPP) celebra o aniversário de nascimento do poeta Paulo Leminski, 24 de agosto, com a exposição Convivência. Na próxima sexta-feira (24), data em que o poeta completaria 68 anos se estivesse vivo, 21 fotos e dois poemas de Leminski estarão expostos no hall térreo da BPP, a partir das 9 horas.

As imagens, todas em preto e branco, mostram o poeta em seu cotidiano, em Curitiba, durante estadas em balneários e também diante do Templo das Musas, no Instituto Neopitagórico, na capital paranaense. Os cliques também mostram, direta e indiretamente, o convívio de Leminski e Dico Kremer. Eles se conheceram no Cine Clube Pró Arte, do Colégio Santa Maria, na Praça Santos Andrade, ainda nos anos 1960. Mas foi durante a década seguinte, quando atuavam no mercado publicitário, que Leminski e Kremer passaram a conviver, tornando-se amigos.

“Tivemos muitas conversas sobre poesia, fui apresentado à obra de Ezra Pound, Charles Sanders Pierce, à semiótica, à vanguarda. Por outro lado, emprestei a ele livros de Isaac Deutscher, notadamente a biografia de Trotsky,  E.H.Carr, Mário Pedrosa”, conta o fotógrafo, que viabilizou a impressão do primeiro livro de poemas de Leminski, “Não fosse isso e era menos não fosse tanto e era quase” (1980).

Esta é a primeira exposição de Dico Kremer, que atua há décadas no mercado publicitário, incluindo temporadas na Europa. Atualmente, além de seu estúdio fotográfico, ele divide o tempo lecionando em uma escola de fotografia em Curitiba e ainda mantém uma coluna mensal na revista Ideias, da Travessa dos Editores.

Serviço: Convivência. Exposição com 21 fotografias de Paulo Leminski, por Dico Kremer. Inauguração: 24 de agosto, a partir das 9 horas. Hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná. R. Cândido Lopes, 133. 2.ª a 6.ª, das 8h30 às 18h30. Sábado, das 8h30 às 13 horas. Até 28 de setembro. Entrada franca.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Bibilioteca Pública do Paraná, Biblioteca Pública do Paraná inaugura exposição com fotos de Paulo Leminski, Convivência, Dico Kremer, fotografia, paulo leminski e marcada com a tag , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta