Catch a Fire

catch-a-fire

Para lançar o álbum Catch a Fire na Europa, mais especificamente na Inglaterra, Chris Blackwell levou a gravação crua jamaicana para os estúdios da Island Records e remixou praticamente todas as faixas, acrescentando teclados, riffs, pequenas e grandes interferências que tornou o disco (ainda em vinil) mais “comercial”, para os ingleses, ainda não habituados ao som dos Wailers. Este DVD mostra em detalhes como, quando e porque Blackwell pôs seus técnicos em ação para que Catch a Fire fosse às lojas com o som que vocês conhecem. 

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Catch a Fire e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta