Arquivo da categoria: Antonio Cescatto

Publicado em Antonio Cescatto | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Roupas sujas

A máquina de lavar tem função terapêutica. Coloca-se tudo dentro dela, misturam-se os pós e liga-se no botão “lavagem”. As roupas irão sair limpas. Aparentemente. Para se obter uma roupa verdadeiramente limpa – recomendam as lavadeiras-, não basta isso: é … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Soneto das coisas menores

Coisas menores não são miniaturas nem formam coleções. Coisas menores são acidentes na geografia do cotidiano. Só as percebemos ao passar por elas – o mais rápido possível que der, no menor tempo possível -, a fim de seguirmos céleres … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto | Com a tag | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Antonio Cescatto

Você está em um daqueles dias. Você está com um daqueles problemas. Tipo: insolúvel. Daqueles que dão vertigem, ânsia de vômito, edema de glote, ataraxia. Você já tentou de tudo: natação, massagem, relaxante muscular, Lorax, passeio no parque – e … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

Publicado em Amar é Quando, Antonio Cescatto, Leopardo, Todo dia é dia | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Photographia de Furnaius Rufus Hoje não vai ter sol. Hoje não vai dar praia.   Hoje o recorte a cinzel das montanhas, no vão  entre os prédios, não vai ser visto, pois chove.   Hoje a perspectiva está abolida, o … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto, O Rio sem sol, Todo dia é dia | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Folha seca

“Insensatez”, você diz, “essa história”, e o fone do walk-man, no ouvido, completa: “when a love affair is over”, enquanto os pedaços da folha seca, que você esmaga com os dedos caem, flocos de nós.   Antonio Cescatto

Publicado em Antonio Cescatto, Folha seca | Com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Metamorfose (a partir de um Moebius)

Um homem. Enrugado, calvo, mão direita levantada. Seu polegar e indicador se tocam. Nesse instante, mão e olho explodem simultaneamente. Depois o braço, o lado direito do rosto, e logo após, o esquerdo. A massa pastosa de ambos (braço e … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto, Metamorfose (a partir de um Moebius) | Com a tag , , , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Por um tempo

Nesta casa, Marinetti fundou a revista Poesia; neste hotel, Augusto Comte morou. Nesta ruela, Byron teve um encontro; sob esta pedra, Sthendal ficou. Nestas ruas, passei um dia ou foi o tempo que passou? Antonio Cescatto

Publicado em Antonio Cescatto, Sem categoria, Todo dia é dia | Com a tag , , , , , , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter