Deu no jornal

tn_620_600_Rui_Werneck_19012013 Fazendo bem as contas, são 2.439 páginas. Fiz capas, diagramação, revisão e ilustrações. Estão distribuídas nos 13 livros como romancélere, contos, poemas e textos em geral.” – Rui Werneck de Capistrano, escritor. Foto sem crédito

Autor curitibano lança pacote de 13 livros escritos em menos de três meses. Edições são publicadas de acordo com a procura dos leitores. 13 livros em uma tacada só. O escritor curitibano Rui Werneck de Capistrano lançou mais de uma dúzia de obras nos últimos três meses, numa proeza que ele desconfia ser um “recorde mundial, até provarem o contrário”. “Fazendo bem as contas, são 2.439 páginas. Fiz capas, diagramação, revisão e ilustrações. Estão distribuídas nos 13 livros como romancélere, contos, poemas e textos em geral”, contabiliza.

À venda – As obras de Rui Werneck de Capistrano podem ser adquiridas no site www.clubedeautores.com.br/books. Os preços variam de R$ 9,65 a R$ 45,31.E de onde veio esta leva, deve sair mais: “Tenho mais uns livros em fase de diagramação. Devo lançar mais para frente. Hoje em dia, temos que estar preparados, não?”, provoca.

Tamanha proficuidade editorial se explica por mais motivos. O principal é que, explica o autor, escrever para ele é uma função vital. “Eu escrevo, a águia crocita, a arara taramela, o burro zurra, …o pica-pau restridula, o javali ronca, você lê e a caravana passa”.

A façanha também é possível pelo modelo de publicação ao qual aderiu. O fardo de livros está sendo lançado “sob demanda”, pela editora virtual Clube de Autores.

A editora é um endereço eletrônico que permite a publicação gratuita: o autor manda os originais do livro e estipula o quanto deseja ganhar por unidade. A obra fica disponível na loja virtual sem que o autor pague nada por isso.

Os leitores podem comprar o livro via comércio eletrônico. Os pedidos são encaminhados à gráfica, que imprime, dá o acabamento e envia ao comprador. É possível também adquirir as obras em formato e-book. O autor começa a receber direitos autorais após arrecadar um mínimo de R$ 100.

Relâmpago

Entre as obras à disposição dos leitores está Nem Bobo, Nem Nada, o romancélere que inaugurou o gênero em 2009, agora relançado. Também podem ser lidos os seguintes títulos de diversos gêneros e formato: A Louca Revoada dos Chapéus, da janela — o quintal, Fábulas Farpadas, mundo, divirta-me e te devoro, Um Livro para Quem Adora Sublinhar Frases em Livros, Diálogos Aristoplatônicos, Tal de Tanto de Tal…, e O Homem Que Foi Morar num Outdoor.

Escritor em tempo integral, além de publicitário, compositor e videomaker, Capistrano torpedeia diariamente de forma loquaz. blogs e redes sociais da internet com pensamentos, trocadilhos e aforismos. Muitos deles compilados nos quatro volumes de Escrevendo Adoidado para Não Endoidar que completa o pacote recém-lançado.

“Esse negócio de rabiscar umas frases pra alguém, você sabe, é relâmpago e, depois, trovão. Relâmpago naquelas simples palavras que, às vezes, resumem toda uma história. Depois vem o trovão. A gente tem que imaginar um contexto, uma vida, duas vidas, uma traição, uma família, um fim de caso e tudo mais. Gazeta do Povo 19|1|2013

Leia, divulgue. Compartilhe. Só releve a coisa de serem livros
“escritos em 3 meses”. Foram escritos ao longo dos anos
e engavetados. Ok? Abraços, Rui Werneck de Capistrano

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Deu no jornal, Gazeta do Povo, rui werneck de capistrano, solda cáustico, wernas e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta