Tempo

Certificado emitido pela Censura Federal, em 1973, para a apresentação da peça Por Falar Nisso, do cartunista que vos digita, com Vera Prado, Lincon Willian e Warly Martins; direção de Alberto Centurião; iluminação de Beto Bruel. Teatro de Bolso, Praça Rui Barbosa. Teatro Margem, liderado por Manoel Carlos Karam.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo “Se não for divertido, não tem graça.” Contato: luizsolda@uol.com.br

Esta entrada foi publicada em mINHA ORELHA e marcada com a tag , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta