…e depois a maluca sou eu!

marizaAmigos, algumas pessoas têm perguntado sobre o porque do livro da Mariza ter sido lançado e ainda estar no Catarse. Senta que lá vem história: a Mariza tem 61 anos e uma carreira brilhante. Absurdo até hoje ela não ter tido a oportunidade de ter um livro reunindo pelo menos uma parte dessa história. Posto isso, decidimos – Toninho Mendes e eu – fazer o livro de qualquer forma.

Conseguimos o apoio de um editor (que vai ficar anônimo aqui, sorry) mas ainda faltava muita grana para finalizar o livro, imprimir, distribuir e ainda montar uma exposição. Eu, particularmente, não sou muito fã do Catarse. Até já escrevi sobre isso mas se ele funcionasse como uma pré-venda e oferecesse vantagens reais, toparia. Oferecemos o livro com desconto, sem frete e autografado. Pra quem não pudesse vir no lançamento, um ótimo negócio. Oferecemos, também uma gravura digital com o desenho que está na capa do livro ou um original inédito que será feito especialmente para quem o encomendar.

Portanto, nada de broches, postais ou espelhinhos. Negociamos 60 dias com a gráfica e estipulamos 9 mil como meta. Esses 9 mil não cobrem todos os gastos mas evitam que fôssemos à bancarrota total…  Faltam 6 dias para o encerramento da ação. Depois disso o livro só poderá ser comprado pelo preço cheio nas livrarias. Para quem desenha o  “…e depois a maluca sou eu!” é um registro histórico, digo isso de boca cheia. E ficou bonito.

Mérito do trabalho espetacular da Mariza, do empenho do Toninho que fez o projeto gráfico e do Claudio Rocha que fez a capa. Pra quem não desenha, vale o mesmo. Essa é a historinha da melhor dívida que já fizemos na vida. Quem quiser participar, ainda dá tempo.

vai lá: http://catarse.me/pt/livromariza

 Grato, Orlando Pedroso.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Catarse, Claudio Rocha, http://catarse.me/pt/livromariza, Mariza, Orlando Pedroso, solda cáustico, Toninho Mendes e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta