Escafedente ou escafedido

JAIR BOLSONARO deu um tempo antes de nomear o secretário Renato Feder ministro da Educação. Até os loucos têm momentos de lucidez e foi num desses que ele percebeu que o Feder vai chegar causando. Causando encrenca, inspirando trocadilhos infames com o nome.

Já correm na rede os absurdos extraídos do livro que o moço escreveu sobre a educação brasileira. Tipo: os alunos de escolas públicas são alfabetizados por professores analfabetos; o universitário que não serve para outra coisa estuda História e Pedagogia.

Ao contrário dos antecessores, o ministro Feder chegaria com o alvo na frente e nas costas. Volta ao Paraná e na falta de alguém pior para Brasília, aqui permanecerá. Porque no Paraná ele não faz diferença. O Paraná, como o rio do poeta, corre bem ou mal sem secretário original.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta