Leia-se!

A “Enciclopédia do Piauiês”, de Paulo José Cunha, é o registro de uma fala em extinção, de um Piauí que mal existe, deglutido que foi pela massificação modernizadora, travestido de tempos modernos e, hoje, falante de uma língua “global” que pouco expressa a estagnação efetiva de que padece na essência de sua triste realidade.

É obra que tem a grandeza de congelar para o futuro, o verbo de uma cultura que desvanece, de guardar para a posteridade o testemunho de um tempo em que o sertanejo não se expressava da mesma maneira que o surfista carioca. José Ferreira. Edições Corisco|2012

Se você não arrochar o buriti, pode dar o maior bololô!

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em livros e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta