Hospício em chamas

No hospício funciona assim: os ministros do STF aprovaram o tal reajuste salarial para eles e toda a turma da capa preta do país, incluindo aí os magnânimos do Ministério Público. Logo depois começou a vaia generalizada da ninguenzada, que se divide em quem está com emprego, mas vive no arame, ou desempregada, que está na merda. Então, segundo se noticia, integrantes da mais alta corte da Justiça brasileira começaram a pedir arreglo aos parlamentares que vão referendar ou não a cacetada no orçamento já estraçalhado. Querem que o monstrengo que pariram seja cortado ou minimizado no Congresso. Triste e expressionante!

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Roberto José da Silva - Blog do Zé Beto e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta