Vem aí a TV do Bolsonaro

Os bolsonaristas que assumem como missão a defesa do governo que se preparem para responder por mais um recuo do presidente Jair Bolsonaro. A Empresa Brasil de Comunicação, a EBC, mais conhecida como “TV do Lula”, não será extinta. Seu fechamento era uma proposta importante da campanha de Bolsonaro.

Quem defendeu a candidatura dele sabe muito bem disso, pois deve ter compartilhado muito material bolsonarista lascando o sarrafo nos gastos com a “TV do Lula”. A EBC tem 2025 funcionários e custa R$ 680 milhões de reais anuais aos contribuintes.

A informação de que ela não será mais extinta é do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Alberto dos Santos Cruz. Em entrevista ao jornal O Globo, o ministro disse que vão “racionalizar a empresa e otimizar seu orçamento”, destacando que será feito “respeitando os direitos dos funcionários que trabalham lá”.

Pois é, pelo jeito a questão não era com os altos custos nem a falta de necessidade de uma emissora estatal. O problema é que era a “TV do Lula”. Se for “TV do Bolsonaro” está tudo bem.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em José Pires - Brasil Limpeza e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta