O nosso Patrimônio da Humanidade

© Luiz Antonio Guinski

Rettamozo é uma força da natureza. Pertence à categoria dos vulcões. O único em Curitiba em plena atividade. Ninguém que eu tenha conhecido nesta vida e provavelmente em todas as anteriores e em todas as vindouras pode sequer ser comparado ao Retta em matéria de energia criativa. Rettamozo é uma singularidade. Curitiba não sabe que vive e torno dele como os tibetanos à sombra do Himalaia. Alguém que saiba filmar e esteja à procura de um tema urgente e eletrizante precisa sair correndo da sua inércia e fazer o melhor e mais importante documentário de sua vida: comece hoje a filmar o Rettamozo e o que ele produziu aos borbotões durante muitos e muitos bilhões de minutos. Terá assunto para se ocupar por mais de um século, se quiser. Rettamozo, tenho orgulho de pertencer à sua espécie e de ter vivido o seu tempo. Sou imensamente grato às conjunções caóticas que nos fizeram conviver nas mesmas oficinas – gênios coletivos em tempo integral. Bem, agora só resta a cidade inteira levantar e aplaudir você de pé! Um abraço etc. Paulo Vítola

Acrescento: o que são 70 anos  pra quem tem a eternidade pela frente? (Solda)

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Luiz Rettamozo e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta