Meninos, eu vi!

nuon-dois

Montagem surpreendente da Ave Lola Trupe de Teatro, direção de Ana Rosa Tezza. Iluminação de Beto Bruel e Rodrigo Ziolkowski, com Evandro Santiago, Helena Tezza, Janine de Campos, Marcelo Rodrigues e Regina Bastos. Músicos: Breno Monte Serrat e Mateus Ferrari (autor da música). Cenário de Fernando Marés, parceiro de trajetória, Mozart Machado. Design gráfico de Mateus Ferrari. Exposição “Um Retrato do Cambodja”, de Max Carlesso.  Cabe aqui citar Fernando Pessoa, adaptando: “O ator é um fingidor|finge tão completamente|que chega a fingir que é dor|a dor que deveras sente”.

Solda

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Meninos eu vi e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta