MON realiza visita mediada na mostra “66º Salão Paranaense” neste domingo  

Também haverá oficina de monotipia. Na quarta, a entrada é gratuita

O Museu Oscar Niemeyer (MON) convida o público a participar da programação preparada semanalmente. No domingo, 16 de julho, haverá oficina de monotipia, das 11h às 17h, para o público de todas as idades. Monotipia é uma técnica de impressão simples, que reproduz desenhos em cópias únicas e que cria efeitos imprevisíveis. Neste dia, acontece também visita mediada pelo “66º Salão Paranaense”, às 15h.

O Salão Paranaense é considerado um dos principais eventos de artes visuais do país. Criado em 1944, acolhe propostas que apontam novos caminhos para as artes visuais. A mostra é composta por 85 obras de 25 artistas selecionados pelo comitê curatorial formado por Cauê Alves, Danillo Villa e Gaudêncio Fidelis, que avaliou, ao todo, 823 projetos.

Na quarta-feira, 19/07, o MON oferece entrada gratuita para os visitantes. O público poderá aproveitar e conhecer as exposições que estão em cartaz: “66° Salão Paranaense”, “Na oração, que desaterra… a terra, – Em honra ao sagrado”, “A vastidão dos mapas – Arte contemporânea em diálogo com mapas da Coleção Santander Brasil”, “Circonjecturas”, “Irmãos Campana”, “Imagens Impressas: um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural”, “Kirchgässner: um modernista solitário”, “Obras sob a guarda do MON”, “Histórias do acervo MON – em aberto”, “Museu em construção”, “Cones”, Espaço Niemeyer e Pátio das Esculturas.

A entrada ao MON custa R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada). Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada franca. Nas quartas a entrada é sempre gratuita. A retirada de ingressos no museu pode ser feita até as 17h30, na bilheteria.

Serviço|Domingo no Museu Oscar Niemeyer|16 de julho de 2017|R$ 16 e R$ 8 (meia-entrada) Maiores de 60 e menores de 12 anos têm entrada gratuita|Venda de ingressos: até as 17h30|Permanência no museu: até as 18h|Quarta gratuita no Museu Oscar Niemeyer|19 de julho de 2017|Entrada franca das 10h às 18h.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em MON realiza visita mediada na mostra “66º Salão Paranaense” neste domingo   e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Os comentários estão encerrados.