O destino da Folha de Londrina

falha-de-londrinaHá uma década José Eduardo de Andrade Vieira, já falecido, ofereceu o jornal Folha de Londrina para um empresário da comunicação de Curitiba. Pedida: R$ 10 milhões, mais o passivo de R$ 50 milhões. O boss da capital nem quis conversa. Hoje ele acha que a dívida pode estar na casa dos R$ 200 milhões, ou seja, ninguém vai querer – e mais um jornal tradicional do Estado vai fechar. Será um triste fim, ainda mais levando-se em consideração que o diário fundado por João Milanez foi, durante muito tempo – e disparado, o melhor do Paraná. Zé Beto

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em O destino da Folha de Londrina e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta