PQP, FDP, PT

LULA, em sua mais recente entrevista. Que ele não goste de Jair Bolsonaro é direito dele – e de muitos outros. Mas daí a nos chamar de paridores de Bolsonaro fica feio, vindo de quem tanto foi beneficiado pelo país.

Não é por nada, é pelo verbo parir, que no Brasil se usa para xingar a mãe de alguém e o respectivo filho. Falando português claro, chamou o Brasil de puteiro. E Bolsonaro, o filho. Lula anda esquecido – ou faz de conta.

Esquece que esse mesmo país também pariu Lula e pariu Dilma. Duas vezes cada um, partos de gêmeos. Então fale direito e diga que o Brasil é mesmo uma zona, onde só tem p**** e filhos das p****.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Rogério Distéfano - O Insulto Diário e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta