Estrume, bosta, sinônimos

Por mim colocaria esses vagabundos todos na cadeia, começando pelo STF.

Palavras de Abraham Weintraub no vídeo da reunião ministerial entregue ao STF, cujos ministros ainda não estão na cadeia – a menos que o general Augusto Heleno mande prendê-los pela quebra da separação dos poderes. Weintraub pode perder o cargo como bode expiatório dos pecados do chefe, o presidente, que na mesma reunião chamou os governadores João Dória e Wilson Witzel de “bosta” e “estrume”.

A reunião transcorreu com o decoro e o recato apenas superado nos bacanais da decadência do império romano. De útil só a misteriosa distinção que Jair Bolsonaro faz entre os governadores de São Paulo e Rio. Consultamos Betty Shafransky, revisora do Insulto, sobrinha de Rüdiger Shafranski, o biógrafo de Martin Heidegger.

Betty explica: ”É jogada de sinônimos. Não podemos esquecer que na juventude o presidente, para melhorar o português, montava palavras cruzadas para o Estadão. Foi cacoete do especialista: ‘estrume’, cinco letras = ‘bosta’; ‘bosta’, sete letras = ‘estrume’”.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Rogério Distéfano - O Insulto Diário e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta