Amy-a ou deixe-a!

Foto Le Press

para meu amigo solda

eles tentaram
me fazer ir para a reabilitação
mas eu disse “não, não e não”
sim, eu já passei pelas trevas,
mas quando eu voltar
saberia-sei-saberei

eu não tenho tempo
e se meu pai acha que eu estou bem
ele tem tentado
me fazer ir para a reabilitação
mas eu não vou-vou-vou

prefiro estar em casa com meu amor
eu não tenho setenta dias
porque não há nada
não há nada que você possa me ensinar
e não posso aprender com o psiquiatra
eu não tive um monte de aula
mas eu sei que não entro
em uma redoma de vidro

eles tentaram
me fazer ir para a reabilitação
mas eu disse “não, não, não”
sim, eu já passei pelas trevas,
mas quando eu voltar
saberia-sei-saberei

eu não tenho tempo
e se meu pai acha que eu estou bem
ele tem tentado
me fazer ir para a reabilitação
mas eu não vou-vou-vou

o doutor disse:
“por que você acha que está aqui?”
eu disse: “eu não tenho idéia.
eu vou, eu vou perder o meu bebê,
então eu não quero uma garrafa por perto.”
o doutor disse:
“eu só acho que você está deprimida,
beije-me aqui, baby, e vai descansar.”

eles tentaram
me fazer ir para a reabilitação
mas eu disse ”não, não e não”
sim, eu já passei pelas trevas,
mas quando eu voltar
saberia-sei-saberei

eu não quero jamais voltar a beber
acabei, oh, eu só preciso de um amigo
eu não vou passar dez semanas
pra todo mundo querer saber
o que vou usar sobre o curativos

não é só o meu orgulho
a dor também seca minhas lágrimas

eles tentaram
me fazer ir para a reabilitação
mas eu disse “não, não e não”
sim, eu já passei pelas trevas,
mas quando eu voltar
saberia-sei-saberei

eu não tenho tempo
e se meu pai acha que eu estou bem
ele tem tentado
fazer-me ir para a reabilitação
mas eu não vou-vou-vou

amy winehouse/versão de antonio
thadeu wojciechowski

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Adegão, amy, Amy Winehouse, Amy-a ou deixe-a, meu tipo inesquecível, Rehab e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta