O culpado – Moro em férias, Gebran em férias. Os juízes do caso Lula estavam em férias quando o juiz que cobria as férias autorizou a libertação de Lula. Os juízes voltaram das férias para impedir a execução da ordem dada pelo juiz que cobria as férias. O juiz que cobria as férias insistiu em libertar Lula mesmo quando os colegas esqueceram as próprias férias. Quem tem culpa nessa confusão? Ora, as férias.

Uivos da passionária – Gleisi Hoffmann voltou, o velho estilo de acelerar a língua sem dar partida no cérebro. Criticou a “intromissão indevida” do presidente do TRF4 no episódio da soltura de Lula. Intromissão “devida” pode? E se fosse apenas “intromissão”, sem o complemento, Gleisi ficaria quieta?

Favreto – Libertação de Lula: favor? Não, favreto.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Rogério Distéfano - O Insulto Diário e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta