A que horas ele volta?

O retorno a Curitiba do ex-governador Beto Richa e a esposa Fernanda, que desfrutam de um cruzeiro no luxuoso MSC Seaview – transatlântico batizado por Sofia Loren em maior passado -, é uma incógnita. Poderia até ser nesta segunda-feira, como supunham alguns amigos. Nada confirmado por enquanto.

Oficialmente, o pacote prevê retorno no próximo dia 6 de dezembro, mas curitibanos que estão no mesmo navio não viram mais o casal desde que a viagem foi revelada neste Contraponto, o que também não é surpreendente num transatlântico com mais de 5 mil passageiros e classes diferentes.

É claro que não há nada de reprovável no tour turístico e na decisão do casal Richa relaxar entre as belas paisagens do Velho Continente.

Deve ser desconfortável para gente amiga como o empresário Jorge Atherino, o ex-chefe de gabinete, Deonilson Roldo e até o ex-companheiro de viagens, Maurício Fanini, ex-diretor da Fundepar, que permanecem em presos por suspeitas de desvios de verbas públicas. E justamente para, ao fim e ao cabo, garantir a eleição de… Beto Richa.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Ruth Bolognese - Contraponto e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta