Bolsonaro queria mesmo era fuzilar FHC

A tentativa de constranger o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com a publicação de uma foto dele refastelado num sofá não faz parte do Bolsonaro Paz e Amor atual. Postada no Twitter do presidente eleito, a foto foi entendida como uma provocação a FHC, que mostrava a capa de um livro sobre Zhao Ziyang, ex-líder comunista deposto da liderança do Partido Comunista da China em 1989. Seria uma insinuação de que Fernando Henrique seria comunista.

FHC reagiu: “Só faltava essa. Cruz, credo!

No passado, Bolsonaro manifestou-se, com todas as letras, a favor do fuzilamento de FHC. Uma entrevista dele no programa Jô Soares, confirmando a intenção, circula há anos pela Internet .

E o curioso é que Bolsonaro queria fuzilar FHC por privatizar a Vale do Rio Doce e as telecomunicações. Exatamente o que seu ministro da Fazenda, Paulo Guedes, se prepara para fazer, incluindo subsidiárias da Petrobras, mas com exceção, lógico, da Vale do Rio Doce, que já “élvis”.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Ruth Bolognese - Contraponto e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta