Arquivo da tag: jamil snege

Uma avenida para Jamil Snege

Lembro como se fosse hoje: perdidos pelas bocadas da Vila Centenário, tarde azul de outono, eu e Paulo Leminski, desgarrados da velha Grafipar, bêbados de um tonel, nos vimos de repente, o que não era incomum, caídos de amor por … Continue lendo

Publicado em Uma avenida para Jamil Snege | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

© Daniel Snege Hoje sairei à caça de  lucros, exatamente como  o faço todos os dias.  Tentarei ser o mais astuto,  o mais sagaz, e a terra  tremerá sob meus pés.  No entanto, Senhor, vai  comigo um menino magrinho,  olhos … Continue lendo

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

80 anos

Publicado em Absolut Jamil Snege | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

© Daniel Snege Senhor Hoje amanheci insatisfeito. O pão estava amargo e até o jornal que leio todos os dias me pareceu de uma insipidez atroz. De repente, Senhor, lembrei-me dos que não leem jornais – mas os usam para … Continue lendo

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Turco

Jamil Snege, o Turco – (1939|2003) – escritor e publicitário paranaense, formado em Sociologia e Política pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Destacou-se na publicidade pela ousadia e irreverência na criação de campanhas comerciais, políticas e educativas de grande … Continue lendo

Publicado em O Turco | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Quem procura, acha

Estes contos de Jamil Snege são de um lirismo sofisticado. Feitos de personagens e circunstâncias que nos remetem a um universo ilógico, surpreendente, que subsiste, entretanto, galvanizado pela imaginação fantástica do autor.  É o “reductio ad absurdum” de Snege. Apesar … Continue lendo

Publicado em Quem procura acha! | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Cruelritiba

Publicado em Cruelritiba | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Lesmas (a Jamil Snege)

© Myskiciewicz Volto ao ancoradouro de Vila da Pedra, meu caro Franz, para fumar apenas um cigarro. É que eu trabalhei a madrugada inteira nas minhas Confissões orgíacas e agora bateu um certo cansaço. O ar muito seco, muito azul, … Continue lendo

Publicado em Fernando José Karl | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

© Daniel Snege

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Leia-se!

Programação gráfica: Jorge de Menezes; foto da capa: Zap Fotografias; modelo da capa: Alvino Cruz, o Smaga; Edição do autor, 1978. “Dou de graça, na capa, um signo para a leitura deste livro: nossa desdentada guia latinoamericana do supermercado da … Continue lendo

Publicado em leia-se! | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Snege

Publicado em Jamil Snege | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Uma avenida para Jamil Snege

O Turco: jardinete? Lembro como se fosse hoje: perdidos pelas bocadas da Vila Centenário, tarde azul de outono, eu e Paulo Leminski, desgarrados da velha Grafipar, bêbados de um tonel, nos vimos de repente, o que não era incomum, caídos … Continue lendo

Publicado em Jamil Snege | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

E a Avenida Jamil Snege?

Caminhando, dia desses, hábito antigo, a paisagem de meu arrabalde, na fronteira entre Boa Vista e Tingui, topei, não sem surpresa, com uma viela ligando o nada a coisa nenhuma. Busquei a placa: Rua Mário Bittencourt! Menos de uma quadra … Continue lendo

Publicado em E a Avenida Jamil Snege? | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

© Alberto Melo Viana Penso em Wilson Bueno como um osso ao relento, nu e núbil como um osso a esmo. Osso que se bastasse de sua classe alvura, nu e núbil de sua própria lua. Osso que se recusasse … Continue lendo

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

 © Daniel Snege Quando menino, nascido serra acima, o que mais eu desejava era o mar. Eu queria apenas o mar e mais nada — para nele desfraldar meus sonhos marinheiros. Fui crescendo e ampliando meus desejos. Uma casa junto … Continue lendo

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Pomada curitibina

© Lina Faria

Publicado em Pomada curitibina | Com a tag , , , | 7 comentários
Compartilhe Facebook Twitter

Memórias de um sujeito com Alzheimer transitório

© Daniel Snege Década de 80. Recebo um telefonema de meu pai: “Luizinho, por que você não veio aqui em casa para comer aquele frango que combinamos? “Argumento que havia esquecido, muitos compromissos, etc”. E a conversa continua. Depois de … Continue lendo

Publicado em Memórias de um sujeito com Alzheimer transitório | Com a tag , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Tempo

Sentados: Wilson Martins, ladeado por Norton Macedo e Nireu Teixeira. Em pé, da esquerda para a direita: Miguel Sanches, Fábio Campana, Tato Taborda e Jamil Snege, em algum lugar do passado. © Myskiciewicz

Publicado em tempo | Com a tag , , , , , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Jamil Snege – 70 anos

Foto de Daniel Snege Se vivo estivesse, o escritor Jamil Snege (1939-2003) emplacaria sexta-feira que vem, dia 10, setenta anos! Quem diria, o velho Turco, septuagenário, ele que nos deixou nos seus jovialíssimos sessenta mal-iniciados? Guru de toda uma geração, … Continue lendo

Publicado em Jamil Snege - 70 anos | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter