Arquivo da tag: o bandido que sabia latim

O jornalista Toninho Vaz foi amigo de Paulo Leminski e após a morte do escritor escreveu “Paulo Leminski, o bandido que sabia latim”, elogiada biografia e se não me engano o único trabalho de maior fôlego que existe sobre a … Continue lendo

Publicado em paulo leminski | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Agora é que são elas…

6 Capítulo 17/Página 81 O mordomo irrompeu e anunciou: — O corpo está sendo velado na capela. E os senhores e senhoras presentes podem se servir a partir de agora. A voz de Norma ainda ecoava naquele salão, quando todos … Continue lendo

Publicado em Agora é que são elas | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Viver não tem cura

leite, leitura, letras, literatura, tudo o que passa, tudo o que dura tudo o que duramente passa tudo o que passageiramente dura tudo, tudo, tudo, não passa de caricatura de você, minha amargura de ver que viver não tem cura … Continue lendo

Publicado em O Brasil caminha vigorosamente em direção ao passado (Millôr Fernandes) | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Um Tarado no Tablado

“Meu amigo Solda eu eu só temos uma diferença, tantas vezes discutida pelos bares da noite: eu acho o Professor Thimpor o maior humorista brasileiro vivo. Solda, não. Ele acha que é o próprio Professor Thimpor. Como distinguí-los, afinal? Enfim, … Continue lendo

Publicado em Solda|leminski | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Solda & Leminski

Poema meu terminado  pelo Bandido Que Sabia Latim, cuja caligrafia vocês conhecem de cor e salteado. 1987

Publicado em Solda & Leminski | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Bandido Que Sabia Latim

© Carlos Macaxeira Posso provar: tenho aprovação própria. Pensar por pensar. Some um círio suando de pensar, aceso na cabeça e as formigas me comendo e me levando em partículas para suas monarquias soterradas. A existência existe no existente. A … Continue lendo

Publicado em O Bandido Que Sabia Latim | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

É sempre bom lembrar

Patrícia Poeta Pfingstag (São Jerônimo, 19 de outubro de 1976) é jornalista.

Publicado em É sempre bom lembrar | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Ostras

Publicado em ostras parábolas | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Vale a pena ver de novo

Capa que fiz para a biografia de Paulo Leminski, O Bandido Que Sabia Latim, de Toninho Vaz, para a editora Nossa Cultura, não autorizada, craro, cróvis.

Publicado em vale a pena ver de novo | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

© Américo Vermelho

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Tempo

Arte na faixa: O Bandido Que Sabia Latim, Paulo Leminski. © Marcos Barreto

Publicado em tempo | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Bandido Que Sabia Latim

Publicado em Paulo Leminski - 70 anos | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

15 pontos nos IIs (Paulo Leminski)

1. O Catatau é a história de uma espera. O personagem (Cartésio) espera um explicador (Artiscewski). Espera redundância. O leitor espera uma explicação. Espera redundância, tal como o personagem (isomorfismo leitor/personagem). Mas só recebe informações novas. Tal como Cartésio. 2. A espera de … Continue lendo

Publicado em 15 pontos nos IIs (Paulo Leminski) | Com a tag | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Bandido Que Sabia Latim

Publicado em Paulo Leminksi | Com a tag , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter