Arquivo da tag: paulo leminski

Biografia não autorizada

Editora Nossa Cultura, Curitiba, 2013, Tonhinho Vaz. Na capa, Paulo Leminski em seu habitat. Foto de Américo Vermelho. Criação do cartunista que vos digita.

Publicado em Biografia não autorizada | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

  Blindagem – Sou Legal, Eu Sei

Publicado em ova-se! | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Polaco Que Sabia Latim

Tempo, tempo, tempo. Desenho de Arthur de Freitas, década de 1980.

Publicado em O Polaco Que Sabia Latim | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Agora é que são elas…

6 Capítulo 17/Página 81 O mordomo irrompeu e anunciou: — O corpo está sendo velado na capela. E os senhores e senhoras presentes podem se servir a partir de agora. A voz de Norma ainda ecoava naquele salão, quando todos … Continue lendo

Publicado em Agora é que são elas | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Viver não tem cura

leite, leitura, letras, literatura, tudo o que passa, tudo o que dura tudo o que duramente passa tudo o que passageiramente dura tudo, tudo, tudo, não passa de caricatura de você, minha amargura de ver que viver não tem cura … Continue lendo

Publicado em O Brasil caminha vigorosamente em direção ao passado (Millôr Fernandes) | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Tempo

Uma tarde qualquer de 1987, na Exclam Propaganda. Começo este poema, dou um tempo e vou tomar café (ou seria vodka?) Quando retorno, o Polaco havia terminado o poema. Ferpeito! E assim passavam os dias.

Publicado em Todo dia é dia | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Portfólio

1986. Anúncio da Exclam Comunicação. Fazíamos tudo no braço. Era tempo da letraset, cola de borracha, retícula, fotocomposição, máquina de escrever. Necas de pitibiriba de computador. Mas fazíamos direitinho, não é, Paulo Leminski?

Publicado em portfolio | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Parceria

Paulo Leminski e Luiz Carlos Rettamozo, no habitat do Polaco, em algum lugar do passado. © Nélida Rettamozo, a Gorda

Publicado em Parceria | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Liberdade e luta

No fim de agosto de 1980 – há exatos 40 anos – estudantes e militantes trotskistas organizaram em plena ditadura homenagens a Leon Trótski, pelos 40 anos da sua morte (21/08/1940). Em Curitiba, o encontro em um diretório estudantil contou … Continue lendo

Publicado em Cley Scholz | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Um Tarado no Tablado

“Meu amigo Solda eu eu só temos uma diferença, tantas vezes discutida pelos bares da noite: eu acho o Professor Thimpor o maior humorista brasileiro vivo. Solda, não. Ele acha que é o próprio Professor Thimpor. Como distinguí-los, afinal? Enfim, … Continue lendo

Publicado em Solda|leminski | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

O Bandido Que Sabia Latim

O grupo Sequelas do Alcoolismo: Paulo Leminski, Rogério Dias e Solda (antes, Duo Denal, eu e o Polaco, criado no bar Kapelle, ainda na Barão do Serro Azul). © Francisco Kava

Publicado em O Bandido Que Sabia Latim | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Setembro, 2010

Metaformose|Uma odisséia sobre o imaginário grego. Cartaz sobre foto de Lina Faria|Grupo Delírio Cia. de Teatro

Publicado em Setembro|2010 | Com a tag , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Solda & Leminski

Poema meu terminado  pelo Bandido Que Sabia Latim, cuja caligrafia vocês conhecem de cor e salteado. 1987

Publicado em Solda & Leminski | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Publicado em Lápide Leminski | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

A Helena de Paulo

“A padroeira da poesia em Curitiba acaba de fazer mais um milagre. Chama-se Sempre palavra, tem apenas cinquenta páginas e inclui uns quarenta pequenos poemas. Mas tem luz bastante para iluminar esta cidade por todo um ano. Embora seja a … Continue lendo

Publicado em A Helena de Paulo | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter