Arquivo da tag: todo dia é dia

Todo dia é dia

Publicado em Mercedes Sosa | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Para Luis Trimano

Los amigos En el tabaco, en el café, en el vino, al borde de la noche se levantan como esas voces que a lo lejos cantan sin que se sepa qué, por el camino. Livianamente hermanos del destino, dióscuros, sombras … Continue lendo

Publicado em Para Luis Trimano | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Poema Mole

Pra mim já não quero nada tanto faz copo de vinho ou água oxigenada. posso comer isso agora ou daqui uma hora ficar aqui, ir embora um canto de bentevi melodioso, amarelo ou um enorme shhhh… tanto faz se em … Continue lendo

Publicado em Nelson Padrella | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Faça propaganda e não reclame

Publicado em Faça propaganda e não reclame | Com a tag , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Todo dia é dia

©Myskiciewicz minha companheira sumiu enquanto eu estava no banheiro minha companheira mulher danada deu o fora enquanto eu escrevia um poema na privada solda (Da série Poesia em Compota)

Publicado em todo dia é dia | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Revista Ideias 157

Travessa dos Editores #Ideias|Novembro 2014

Publicado em Revista Ideias 157 | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Poesia em compota

o grego sólon acreditava que nenhum homem devia ser considerado feliz senão depois de morto eu creio que nenhum homem deve ser considerado feliz antes de morrer de rir Solda

Publicado em Poesia em compota | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Roupas sujas

A máquina de lavar tem função terapêutica. Coloca-se tudo dentro dela, misturam-se os pós e liga-se no botão “lavagem”. As roupas irão sair limpas. Aparentemente. Para se obter uma roupa verdadeiramente limpa – recomendam as lavadeiras-, não basta isso: é … Continue lendo

Publicado em Antonio Cescatto | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Carne

Publicado em Carne | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Nora Drenalina recomenda

O menor livro de poemas do mundo: 69, de Antonio Thadeu Wojciechowski e o cartunista que vos digita. Editora Beija Flor, década de 80. Só se encontra em sebos. E olhe lá!

Publicado em Livro de poemas 69 | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Haikara

Claudio Seto (1944|2008) – © Raquel Santana

Publicado em Haikara | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

30 anos sem Paulo Leminski

Publicado em paulo leminski | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Ouvido absoluto

Crazy people: tenho o ouvido direito absoluto. E com o esquerdo, não ouço absolutamente nada. 

Publicado em Ouvido absoluto | Com a tag , , , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Gilda em Camisa-de-Força

Publicado em Gilda em Camisa-de-Força | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Dernier Avertissement

Ultimo Aviso caso alguma coisa me acontecer, informem a família foi assim, assim tinha que ser tinha que ser dor e dor esse processo de crescer tinha que vir dobrado esse medo de não ser tinha que ser mistério esse … Continue lendo

Publicado em Dernier Avertissement | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Intacta retina

Thiago E. Jornal O Dia – Teresina|Piauí

Publicado em Intacta Retina | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Ideias

Revista Ideias|156|outubro, 2014|Travessa dos Editores

Publicado em revista ideias | Com a tag , , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

João Lyn

Lorena Calábria. Brainpix

Publicado em João Lyn | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter

Blues e Souza

Vida Obscura Ninguém sentiu o teu espasmo obscuro, Ó ser humilde entre os humildes seres. Embriagado, tonto dos prazeres, O mundo para ti foi negro e duro. Atravessaste no silêncio escuro A vida presa a trágicos deveres E chegaste ao … Continue lendo

Publicado em Blues e Souza | Com a tag , , | Deixar um comentário
Compartilhe Facebook Twitter