Tony Garcia desafia Beto Richa

Beto Richa saiu da prisão na ponta dos cascos, como seria de esperar. Na entrevista aos jornalistas que o esperavam, desceu o tacape em Tony Garcia, o delator. E propôs uma comparação de “histórico de vida” de cada qual. Quem tem credibilidade? Eu ou o delator Tony Garcia com seu histórico de vida? perguntou Richa. E afirmou que vai contestar as falsidades ditas contra ele.

Tony Garcia não gostou, é óbvio. E ainda na madrugada rebateu Beto Richa. Devolveu a pancadaria em dobro, e lançou o desafio para uma acareação entre os dois diante da imprensa. Em hora e lugar marcados pelo adversário. O texto é uma cacetada atrás da outra. É o que segue:

Desafio Beto Richa

Beto acaba de sair da cadeia, e como um péssimo ator de novelão mexicano, faz o que melhor sabe fazer, nega o inegável, e tenta comparar sua credibilidade com a minha.

Ora Beto, não me meça pela sua régua, achar que sua palavra vale mais que a minha pelos cargos que ocupou é um enorme equívoco que comete.

Cargos públicos exercidos com lisura, dignidade, honradez e honestidade te dariam esta prerrogativa, porém, é público e notório que não é o seu caso, visto o mar de lama em que se meteu em todos que exerceu.

Vc é acusado pela justiça de ser o chefe de uma organização criminosa, irresponsávelmente levou sua família para o mesmo cadafalso, não poupou irmão, mulher e filhos, e mesmo assim insiste no ataque como forma de defesa.

Como bem sei, vc não é afeito a leitura ou estudos, seu intelecto é frágil e superficial, sua mente lenta e preguiçosa te leva cada vez mais ao fundo do poço.

A primeira coisa que vc fez (como eu já esperava) ao sair da cadeia, foi me atacar, perguntando aos jornalistas que lá estavam quem teria mais credibilidade entre vc e eu.

Achei ótima sua pergunta, e acredito ter a maneira para que toda a imprensa, não só do Paraná, mas como a de todo o país, possa aferir a credibilidade de cada um de nós, e responder sua pergunta com precisão.

Te desafio publicamente para uma coletiva de imprensa convocada por vc, em seu campo, com hora, dia e local por vc escalado, juíz, bandeirinhas e regras a seu critério, olho no olho, vc e eu e mais ninguém. Combate de gente grande, onde até admitirei golpe abaixo de minha cintura. O final deste combate se dará por nocaute, um de nós beijará a lona, porém, o grande vencedor não será um de nós, mais sim os paranaenses.

Vc diante das câmeras diz o que quer, é covarde e torpe, tenha a dignidade e honradez, se é que ainda lhe resta, em aceitar o que proponho, caso contrario, cada ataque seu a mim dirigido, será respondido publicamente com PROVAS INEQUÍVOCAS de que vc não passa de um um psicopata mentiroso contumaz.

Aguardando hora e local !!!

Tony Garcia

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido, não tem graça." Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Fábio Campana - Política|cultura e o poder por trás dos panos e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta