Última semana de Urubu Comum tem sessões extras no Novelas

Urubu Comum - foto Cido MarquesFoto de Cido Marques

A Cia. de Teatro do Urubu, que ocupa o Teatro Novelas Curitibanas este mês com sua primeira montagem, Urubu Comum, programou sessões extras da peça para o próximo final de semana. No sábado e domingo (dias 30 e 31), os dois últimos dias das apresentações, as sessões acontecem às 19h e 21h. A entrada é gratuita.

O nome da peça remete a uma espécie tipicamente brasileira que vive no zoológico de Michelle Ferreira. O elenco da comédia dramática conta com Anderson Caetano, Gustavo Gusmão, Muhammad Chab, Michelle Pucci e Carolina Meinerz.

Com texto e direção de Michelle Ferreira (SP), Urubu Comum coloca em cena um casal de professores que vivem em um apartamento decadente de uma grande metrópole. Senhora G e Senhor F, em um dia comum, recebem a visita do investigador T que busca desvendar um caso que ocorreu no edifício que os professores moram: quem foi o morador que jogou um peixe pela janela e acertou uma menina de rua provocando a sua morte? Enquanto isso, um urubu comum sobrevoa a cidade.

Escrita em 2004 dentro do Círculo de Dramaturgia do CPT, essa é a primeira peça escrita por Michellle Ferreira, que já se firma como uma das artistas mais instigantes da cena paulistana. A montagem da Cia. De Teatro do Urubu utiliza-se de uma versão do texto realizada por Michelle em 2011

Urubu Comum invetiga essa espécie tipicamente brasileira. A metáfora desse animal que, apesar do seu tamanho, é o mais agressivo dos urubus, disputando avidamente uma carcaça com as outras espécies, remete à decadência de existir. A obordagem, apesar de pessimista, é um elogio à vida. Cia. de Teatro do Urubu: do sobrevôo do urubu à honestidade do sarcasmo.

A peça é sobre a distância do que se é e do que se quer ser. Urubu Comum é sobre a velhice, a juventude e o desejo de não desistir, porque velhos ou não, cantam: afinal, tudo que é humano, vez ou outra, canta.

SERVIÇO: Peça Urubu Comum. Data e horário: sexta-feira (dia 29) às 20h | sábado (30) e domingo (31) às 19h e 21h. Local: Teatro Novelas Curitibanas. Endereço: Rua Carlos Cavalcanti, 1222 Ingresso: gratuito. Classificação 18 anos – Comédia Dramática

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em agenda, Cia de Teatro Urubu, Cido Marques, Teatro Novelas Curitibanas, Última semana de Urubu Comum tem sessões extras no Novelas e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta