Veja-se!

O filme pinta um panorama muito sombrio mas cheio de humor de um vilarejo holandês no início dos anos 1960. A história é centrada no adolescente Thomas, cujo pai, o açougueiro do vilarejo, vive em constante frustração sexual, e cuja mãe transforma-se cada vez mais em uma fanática religiosa. Por causa das notícias do Congo, o próprio Thomas desenvolve uma obsessão pelo líder anti-colonialista Lumumba e passsa a se vestir como ele. Ele frequenta a floresta vizinha, onde o carteiro Plagge lê a correspondência dos habitantes do vilarejo e conhece todos os segredos íntimos e bizarros dos habitantes locais. O guarda florestal, vizinho infértil de Thomas, os fica vigiando e tenta de tudo para apanhá-los em algo errado. A situação sai fora da rotina quando missionários belgas trazem ao vilarejo um negro de verdade, que escapa de seu cativeiro com a ajuda de Thomas e se esconde na floresta.

Com  Leonard Lucieer, Jack Wouterse, Rudolf Lucieer, Annet Malherbe, Loes Wouterson, Alex van Warmerdam, Veerle Dobbelaere, Dary Some, Theo van Gogh, Jacques Commandeur. Direção: Alex van Warmerdam. Ano:  1992, Holanda,  Comédia, 107 minutos, De Noordelingen, The Northernres.

Sobre Solda

Luiz Antonio Solda, Itararé (SP), 1952. Cartunista, poeta, publicitário reformado, fundador da Academia Paranaense de Letraset, nefelibata, taquifágico, soníloquo e taxidermista nas horas de folga. Há mais de 40 anos tenta viver em Curitiba. É autor do pleonasmo "Se não for divertido não tem graça". Contato: luizsolda@uol.com.br
Esta entrada foi publicada em Cinema holandês, De Noordelingen, Veja-se! e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.
Compartilhe Facebook Twitter

Deixe uma resposta